segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Aprenda a não distorcer sua visão

Há alguns anos, espantando como amigos e familiares assistiam seus filmes em casa, e principalmente como no geral as pessoas não se ligavam para esse fato, visto que em qualquer bar ou restaurante as TVs SEMPRE estavam com a imagem esticada, eu desenvolvi um manual de configuração para DVD Players em TVs 16x9. Na época eu abstrai o sinal 16x9 da TV digital em alta-definiçao (HD) e me concentrei apenas nos reprodutores de DVD mesmo (nem blu-ray eu levei em consideração, visto que eu não tinha e o aparelho não era tão difundido como hoje). Eu sinceramente nem sei se nos  manuais de aparelhos de DVD vêm escrito como e porquê configurar corretamente a saída de vídeo do aparelho, afinal, praticamente ninguém lê manuais, certo? 

Passados esses anos, ainda hoje me deparo com algumas pessoas que simplesmente ignoram o fato de que aquela imagem tragicamente esticada na horizontal não é o padrão a ser assistido em suas TVs. Num restaurante chique da zona sul carioca eu até tentei explicar ao gerente como isso poderia ser feito mas ele simplesmente não entendeu, ou pior, preferiu não entender do que eu estava falando, de tão acostumado ao absurdo que estava. Por isso eu faço questão de fazer um post sobre esse assunto, de modo a ajudar aqueles que querem sim ter uma boa experiência audio-visual em suas casas (se você já tem um blu-ray player, muito provavelmente já não passa por esse problema, além de usufruir da melhor qualidade de imagem e som, ainda mais se tiver um home-theater completo).

Todos que compram ou alugam (ainda) filmes já devem ter percebido que a grande maioria dos DVDs vêm no formato widescreen anamórfico ou mesmo letterbox, mas, o que diabos isso significa? Significa que as boas empresas distribuidoras já se preocupam com a inovação tecnológica e não mutila mais seus filmes, deixando-os como seus criadores o produziram; sem cortes nas laterais. Algumas ainda cometem aqui no Brasil esse crime , favorecendo apenas as TV convencionais 4x3 – e ignorando o fato de que em breve todos terão TV wide em casa.  O que muita gente ignora ainda é como poder assistir seus filmes adequadamente nesses formatos sem o deformarem. Como? Muito simples: todos os DVDs players e recorders no mercado podem através de seu menu de configuração inicial ser configurados para liberar o sinal que vai para a TV em widescreen. Daí, a única coisa com que você precisa se preocupar é com a regulação da “bitola” de sua TV (posições 4x3, 16x9, superwide  e widescreen).

Vamos exemplificar, começando pelo sinal analógico que vêm da sua TV a cabo ou aberta. O formato ainda é 4x3 e é assim que ela é visualizada em sua TV:



Repare que nas laterais há duas faixas verticais pretas,  as pillar bars, pois ali não está recebendo sinal.  Mas muita gente não sabe disso e acaba querendo “corrigir” esse “erro” preenchendo toda a tela, colocando a TV em formato widescreen 16:9, e com isso distorce a imagem. Veja na figura abaixo a coitada da Fátima Bernardes:



O ideal, para preencher tudo, seria colocar a chave da TV em "zoom", mas isso cortaria a imagem no topo e no rodapé, deixando as legendas e boa parte da imagem de fora do campo de visão.

Vamos agora aos filmes (shows também podem se encaixar aqui). Existem no mercado DVDs que vêm com os seguintes formatos: FULLSCREEN  (se quer ter uma boa percepção visual em widescreen em sua TV, fuja como o diabo da cruz desse formato, a não ser que não tenha jeito); Letterbox 16x9 (os filmes vêm em widescreen, mas “envelopados”, sem que se possa alterar seu formato) e widescreen anamórfico (o filme vem configurado exatamente para a sua TV, viva!!!).

Os filmes FULLSCREEN se encaixam naquele exemplo do sinal da TV. Não tem como escapar. Veja um exemplo do filme “HARRY POTTER” mutilado:



E veja agora o mesmo take deformado para preencher todo a tela 16x9:



Os filmes letterbox podem ser visualizados em sua TV wide sem problemas, mas para isso você pode até ignorar a saída do DVD, pois para eles não fará diferença. Limite-se a colocar a chave da TV em "zoom" (você pode perder um pouco de definição com isso, dependendo da sua TV e do seu DVD player). Se o filme for legendado, você também vai sofrer, pois elas ficarão provavelmente fora da área visível da TV.





Para tentar ler as legendas de um filme letterbox, você deve colocar a TV em subtitle zoom ou superwide (TVs Philips têm esse recurso, mas outras TVs também, porém com outra nomenclatura). Isso vai deformar um pouco a imagem, mas não tanto quanto colocar a TV em modo widescreen.


Ou seja, numa escala de 0 a 5, onde 0 é o FULLSCREEN e 5 é WIDESCREEN ANAMÓRFICO, o letterbox estaria ali em 3, no máximo. Mas infelizmente ,em terrabrasilis ,não temos como fugir disso, por enquanto!


O WIDESCREEN ANAMÓRFICO tem basicamente dois formatos, que variam de acordo com a fotografia do filme:  1.77:1, o 16x9 perfeito, que é o padrão do sinal da TV digital , e o 2.35:1 (as vezes 2.40:1 ou maiores). Ambos podem ser visualizados perfeitamente em sua TV WIDE na chave widescreen 16x9, contanto que seu DVD player esteja setado para liberar o sinal em widescreen (ou panorâmico).

Veja o exemplo para um filme 1.77:1 (o exemplo serve também para o formato 1.85:1*):



Veja que toda a tela é preenchida sem distorções (o que na teoria seria possível apenas para filmes com a proporção 1.77:1). O que acontece é que os filmes 1.85:1 já vem configurados com o que podemos chamar de folga, tanto para cima, quanto para baixo, captados do negativo original, o que permite que, quando colocamos a chave da TV em wide, o filme se adapte perfeitamente, pois essa folga fica para fora do écran e não prejudica o formato original. Esse efeito podemos ver também no sinal da TV, que sempre tem uma folga para todos os lados, e não somente para cima. Você pode fazer esse teste em sua TV: coloque a chave em 4x3 no canal de sua escolha e vá “fechando” com o controle remoto (cada TV tem o seu método específico) até que a tarja preta do sinal apareça. Isso se deve porque mesmo as TV convencionais em 4x3 têm diferenças entre si. Não a toa o formato está morrendo...

Veja agora um exemplo com o filme “HARRY POTTER”  em formato 2.35:1.



Sim, as tarjas pretas aparecem, porque o formato não é wide, e sim CINEMASCOPE, inventado na década de 1950* pela FOX para tornar os filmes mais grandiosos, para competir com a TV. E deu certo!

Mas como é que funciona esse sistema? Simples:

Eis o que o DVD player faz com a imagem do seu DVD:



Ele estica a imagem do DVD para cima e para baixo de modo que você possa na sua TV esticá-la para os lados, tendo como resultado  o perfeito formato wide que você assistiu originalmente (ou não) no cinema.

É isso, só isso! Espero que tenha aproveitado esse tutorialzinho e, de quebra, se você gostar de comprar filmes, como eu, comece a boicotar sem dó nem piedade TODOS os filmes que vierem em FULLSCREEN*. Seus olhos agradecem. E só assim as distribuidoras que insistem ainda nesse formato arcaico vão se mexer e atender melhor nós, consumidores brasileiros.

PS: Só para matar a curiosidade, os Blu-ray disc já são preparados para a TV widescreen, por isso os players já vêm configurados, cabendo a você, sabe-se lá por que motivo, mudar a configuração.  Não que infelizmente não existem BDs mutilados no mercado (como é o caso de CRASH - NO LIMITE e OS OUTROS, mas eles foram mutilados do formato 2.35:1 para o 1.77:1, ou seja, o 16x9 está virando o novo FULLSCREEN).

* o formato 16x9 só foi inventado pela PARAMOUNT no final da década de 1940, portanto todos os filmes anteriores a essa época são 4x3. Em 1953 a FOX, em resposta a Paramount, inventou o CINEMASCOPE 2.35:1. E o cinema só teve a ganhar. Há diversos formatos mundo afora, como o padrão europeu 1.66:1 ou o formato americano de 1.85:1, comum em muitas produções. Para a TV digital optou-se pelo padrão 1.77:1 (16x9).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget