sexta-feira, 29 de abril de 2011

Cenas de um casamento Real - humor

Eu não poderia deixar passar esse evento que parou o mundo hoje pela manhã (NOT!!!) sem um post, não? Mas não vou comentar sobre o evento ou fazer uma crítica azeda sobre a família real britânica. Prefiro um pouco de humor, afinal, eles merecem!



quinta-feira, 28 de abril de 2011

Belezinhas via Amazon: A cor púrpura e O Exorcista

Mais uma alegria para o colecionador aqui: os correios finalmente me entregaram os Blu-ray Books de A Cor Púrpura, um dos melhores filmes de Steven Spielberg, e O Exorcista, o filme mais aterrorizante de todos os tempos. Vejam o vídeo que eu fiz:



Eis os links Amazônicos para quem também quiser ter essas belezinhas na estante. A Cor Púrpura também tem uma bela ediçao dupal de DVD, mas sem legendas ou dublagem em português, ao contrário do Blu-Ray. O Exorcista também é dublado e legendado no nosso idioma.

terça-feira, 26 de abril de 2011

Belezinhas via Amazon (De): A rede social

Após exatos 30 dias da data de postagem, eis que chega para mim, diretamente da terra do chucrute, uma lindíssima edição do filme vencedor do Oscar de Melhor Roteiro adaptado: A REDE SOCIAL (The Social Network). Veja o vídeo que fiz e garanta já o seu!



Ou aqui:



Link para comprar essa edição na Amazon alemã (legendado e dublado em português):



Clique aqui para ler a minha crítica ao filme.

terça-feira, 12 de abril de 2011

O RIO DE JANEIRO CONTINUA LINDO!


Depois de uma semana caótica, onde a Cidade Maravilhosa ficou manchada como nunca gostaria de ter sido – e como se, aliás, precisasse disso no seu currículo de violência... – eis que o fim-de-semana chegou e com ele a estréia mais esperada desse semestre: Rio, de Carlos Saldanha, foi recorde em nossas já parcas salas de exibição Brasil afora e vai certamente ser um fenômeno mundial. Digo isso porque eu vi o filme (em 2D, claro) e posso dizer com todas as letras: ele é FENOMENAL!

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Do anonimato às primeiras páginas ou "Falem mal mas falem de mim"

Ao ver as terríveis e desnecessárias foto e manchete no jornal O GLOBO do sábado passado, dia 09/04/2011, que estampava um close do rosto de uma das vítimas da chacina de Realengo, no útlimo dia 07, dentro do caixão, com os dizeres "Adeus criança", eu não poderia ficar calado. Eu precisava escrever um post sobre o absurdo que a superexposição dessa tragédia estava tendo na mídia em geral. Não que ela não devesse ser exposta, mas da maneira com que está sendo, com o espetáculo que o autor conseguiu formar em torno de seu ato terrorista, isso só formenta a ânsia que outros malucos e desasjustados socialmente têm de sair do anonimato a que foram impostos para aparecer como autores de tragédias semelhantes - e outrora inéditas no páis. 

Mas eu acabei de me deparar um excelente texto assinado por Eugênio Bucci do site OBSERVATÓRIO DA IMPRENSA, que eu transcreverei todo aqui. É uma leitura obrigatória para aqueles que também se incomodam com a exposição exacerbada da tragédia e também para aqueles que desejam entender o porquê disso ser prejudicial a sociedade em geral.

Boa leitura!

quinta-feira, 7 de abril de 2011

O DIA MAIS TRISTE DE NOSSAS VIDAS (LUTO)

Eu estou escrevendo um livro chamado “O DIA MAIS FELIZ DA MINHA VIDA (ou alguns deles e outros nem tanto)”. O título, claro, é provisório. É um livro que eu comecei a escrever há uns seis anos, mas que deixei de lado e prol de outras atividades mas a que recentemente eu retornei e estou em vias de terminá-lo, muito embora, apesar do capítulo final já escrito, ainda faltem alguns para fechar o arco e chegar aquele final plausível. E feliz.

Por que eu estou falando sobre isso? Bem. Se você chegou agora ao Planeta Terra, ou mesmo ao Brasil, deve ser informado de que um maluco, um ser que não deveria ser humano, entrou numa escola pública da zona oeste da cidade do Rio de Janeiro, minha cidade, e atirou contra dezenas de crianças e adolescentes, tendo matado 12 delas e ferido mais outras 20 e tantas antes de tirar a própria vida, ou te-la perdido em confronto com a polícia, que fora acionada após vizinhos ouvirem os tiros. Como se não bastasse todas as mazelas de nosso país e dessa cidade, que apesar de tudo ainda é maravilhosa, um sujeito se inspira em mentecaptos americanos com doutrinas religiosas ou não e mata crianças sem motivo qualquer. Ou seja: hoje não é um dia feliz. Nem para quem recebeu uma herança, ganhou na loteria, recebeu uma promoção do trabalho ou arranjou um emprego há muito procurado. Hoje é um dia, infelizmente, para ser lembrado como um dos mais tristes de nossa história.

São fatos como esse que me fazem pensar de vez em quanto que o ser-humano não merece nada melhor do que os profetas do apocalipse tanto alardeiam. São fatos como esse que me fariam desistir de vez de entender a humanidade e sentir vergonha de pertencer a essa espécie. Fariam não fosse ainda a esperança de dias melhores vindouros ao ver a comoção causada com tamanha tragédia, que de natural nada tem, ao contrário daquela que assolou o Japão há algumas semanas ou mesmo a região serrana do Rio de Janeiro no início do ano. A atitude de voluntários em ajudar as vítimas daqueles e dessa tragédia, as correntes de oração e mensagens de apoio as famílias e amigos das vítimas e também as de repúdio ao assassino são manifestações do verdadeiro caráter do ser-humano, que mais do que nunca deve ser preservado e cultivado.

Pode ser difícil, mas as jovens vidas inocentes hoje ceifadas numa escola pública em uma das áreas mais carentes da cidade devem ser lembradas e suas memórias  honradas não pela tragédia, mas pelos seres humanos que poderiam vir a ser. E devem ser lembradas para que algo desse tipo jamais torne a acontecer aqui ou em qualquer lugar do mundo. Que atitudes daqueles que detém o poder no estado e no município possam ser tomadas em prol da segurança de nossas crianças. E de todos. Só assim poderemos ter cada vez mais dias mais felizes nas nossas vidas.

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Capitão América vem ai!

Antes que os nacionalistas exacerbados de plantão critiquem, sim, ele é um herói estadunidense, ou seja, como os yankees gostam de dizer, a "all american hero". E como eles se auto-denominam de americanos, ou seja, a América É os EUA, vamos deixar as baboseiras para lá e curtir esse que promete ser um filmaço sobre  o primeiro Vingador.

Eu, que nunca fui fã de quadrinhos, não conheço a mitologia do herói, mas sei que a trama se passa na Segunda Guerra mundial, o que faz do super-herói, que luta ao lado dos aliados contra o eixo do mal, um "all citizens of the world hero", por assim se dizer.

Curtam ai o trailer legendado:



Particularmente eu não entendo como um moleque franzino pode ter aquele vozeirão. Já que abusaram do efeito Benjamim Button, poderiam ter alterado a voz do rapaz...

Ocorreu um erro neste gadget