quinta-feira, 7 de abril de 2011

O DIA MAIS TRISTE DE NOSSAS VIDAS (LUTO)

Eu estou escrevendo um livro chamado “O DIA MAIS FELIZ DA MINHA VIDA (ou alguns deles e outros nem tanto)”. O título, claro, é provisório. É um livro que eu comecei a escrever há uns seis anos, mas que deixei de lado e prol de outras atividades mas a que recentemente eu retornei e estou em vias de terminá-lo, muito embora, apesar do capítulo final já escrito, ainda faltem alguns para fechar o arco e chegar aquele final plausível. E feliz.

Por que eu estou falando sobre isso? Bem. Se você chegou agora ao Planeta Terra, ou mesmo ao Brasil, deve ser informado de que um maluco, um ser que não deveria ser humano, entrou numa escola pública da zona oeste da cidade do Rio de Janeiro, minha cidade, e atirou contra dezenas de crianças e adolescentes, tendo matado 12 delas e ferido mais outras 20 e tantas antes de tirar a própria vida, ou te-la perdido em confronto com a polícia, que fora acionada após vizinhos ouvirem os tiros. Como se não bastasse todas as mazelas de nosso país e dessa cidade, que apesar de tudo ainda é maravilhosa, um sujeito se inspira em mentecaptos americanos com doutrinas religiosas ou não e mata crianças sem motivo qualquer. Ou seja: hoje não é um dia feliz. Nem para quem recebeu uma herança, ganhou na loteria, recebeu uma promoção do trabalho ou arranjou um emprego há muito procurado. Hoje é um dia, infelizmente, para ser lembrado como um dos mais tristes de nossa história.

São fatos como esse que me fazem pensar de vez em quanto que o ser-humano não merece nada melhor do que os profetas do apocalipse tanto alardeiam. São fatos como esse que me fariam desistir de vez de entender a humanidade e sentir vergonha de pertencer a essa espécie. Fariam não fosse ainda a esperança de dias melhores vindouros ao ver a comoção causada com tamanha tragédia, que de natural nada tem, ao contrário daquela que assolou o Japão há algumas semanas ou mesmo a região serrana do Rio de Janeiro no início do ano. A atitude de voluntários em ajudar as vítimas daqueles e dessa tragédia, as correntes de oração e mensagens de apoio as famílias e amigos das vítimas e também as de repúdio ao assassino são manifestações do verdadeiro caráter do ser-humano, que mais do que nunca deve ser preservado e cultivado.

Pode ser difícil, mas as jovens vidas inocentes hoje ceifadas numa escola pública em uma das áreas mais carentes da cidade devem ser lembradas e suas memórias  honradas não pela tragédia, mas pelos seres humanos que poderiam vir a ser. E devem ser lembradas para que algo desse tipo jamais torne a acontecer aqui ou em qualquer lugar do mundo. Que atitudes daqueles que detém o poder no estado e no município possam ser tomadas em prol da segurança de nossas crianças. E de todos. Só assim poderemos ter cada vez mais dias mais felizes nas nossas vidas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget