terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Belezinhas via Amazon UK: Alfred Hitchcock Masterpiece Collection

No primeiro post do ano sobre as belezinhas que eu compro lá fora, apresento a vocês a única compra que fiz na Black Friday de 2012: THE ALFRED HITCHCOCK MASTERPIECE COLLECTION, direto do Reino Unido (e devidamente taxado).


quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Argo

O cinema hoje em dia anda carente de bons roteiros, é fato. E carente de bons diretores que possam fazer esse roteiro ser bem filmado. No caso de ARGO, a surpresa maior é que, além de um excelente roteiro escrito pelo estreante em longas Chris Terrio, o filme conta com a direção precisa (e injustamente fora da disputa do Oscar deste ano) de Ben Affleck. Sim, isso mesmo! Se como ator o rapaz é um canastrão de marca maior (mesmo com alguns acertos, como quando interpretou George Reeves, protagonista suicida do seriado do Super-Homem dos anos 1950, no filme "Hollywoodland"), atrás das câmeras ele vem mostrando muita competência.

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Nostalgia (bem) animada

O mundo do Fliperama - ou árcades - não é mais o mesmo. Surgido nos anos 1970, a princípio com jogos de pinball e similares, logo logo ele revolucionou o conceito de parque-de-diversão, atingindo seu auge no final daquela década com os jogos eletrônicos que virariam mania mundial, como Pac Man e Space Invaders, e confinando crianças e adolescentes (ok, e muitos adultos também) num ambiente escuro e fechado, similar os cassinos, onde não se via  a hora passar.  Com o advento dos videogames caseiros e sua constante evolução a partir dos anos 1980 (com o clássico ATARI batendo recordes de vendas mundo a fora), os Árcades tiveram que se reinventar, investindo em mais jogos com mais qualidade, mais adrenalina, mais realismo. Jogos antigos foram sendo desligados conforme a procura por eles foi decaindo e hoje sobrevivem graças em boa parte a um sentimento nostálgico vindo dos pais que levam seus filhos pequenos a esses parques "in door".

sábado, 19 de janeiro de 2013

Uma jornada mal aproveitada

Estou de volta de férias e meu primeiro post do ano será sobre um filme do ano passado, mas o primeiro que assisti nesse "pós-apocalipse". O HOBBIT - UMA JORNADA INESPERADA, de Peter Jackson.

Não ficarei de rodeios e direi logo: não gostei muito do filme. De fato, eu até dormi durante a sessão (uma boa cochilada de uns 10 minutos). Para quem, como eu, esperava algo no nível de "O RETORNO DO REI", com que o mesmo diretor nos presentou há 10 anos, sim, houve muita frustração. Não que o filme seja ruim; ele até diverte e se presta ao que o livro do qual ele foi em parte inspirado se propôs: divertir as crianças.
Ocorreu um erro neste gadget