segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Eletrizante Sessão da Tarde!

Antes de mais nada que fique claro que de maneira alguma o termo "Sessão da Tarde" é pejorativo. Pelo menos o que se refere aquela Sessão da Tarde que acompanhou meu crescimento nos anos 1980 (e não algumas baboseiras que vemos hoje em dia ai nas matinês da TV aberta). Estou falando de filmes empolgantes, que de alguma forma ensinam algo e que nos deixam extasiados para o resto do dia! Isto posto, vamos à resenha propriamente dita:

"WHIPLASH" é eletrizante! Empolgante! Energizante! Tudo o que um musical deveria ser, mas sem ser um musical propriamente dito em si. Não há pessoas cantando, dançando, interpretando com música e dança qualquer cena. A trilha incidental, aliás, é inteiramente composta de jazz, ritmo do qual não sou fã propriamente dito, e a trilha sonora assinada por Justin Hurwitz complementa o conjunto.

O filme fala sobre superação, basicamente isso. Miles Teller intrepta com raríssima garra o jovem músico Andrew, de Nova York , estudante de uma renomada instituição, que tem a chance de fazer sucesso quando literalmente dá seu sangue para ser aceito na orquestra do professor Fletcher (inspiradíssimo e indicado ao Oscar J. K. Simmons), um renomado maestro cujos métodos ortodoxos levam seus alunos ao limite (físico e psicológico).  Damien Chazelle escreve e dirige esse drama claustrofóbico e angustiante (baseado em seu curta de 2013), que tem na sua montagem e mixagem de som seus grandes trunfos (e merecidamente indicados ao prêmio da Academia).  A maior prova disso é a cena final onde se dá o embate entre pupilo e mestre. É de tirar o fôlego! A fotografia de Sharone Meir também merece destaque, pois dá ao filme o charme que só uma "jam session" novaiorquina pode conter.

A participação de Paul "Mad About You" Reiser como pai de Andrew é bem legal!

A obra concorre ainda às estatuetas de Filme e  Roteiro adaptado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget