segunda-feira, 28 de maio de 2012

Maré de prejuizos ao consumidor



Você provavelmente já fez alguma compra pela internet. E talvez já tenha experimentado comprar em lojas internacionais, como a gigante Amazon, espalhada pelos quatro cantos do mundo, dos EUA ao Japão. Isso sem falar no E-bay, maior site de classificados on line. Se você, como eu, é um dos milhares de brasileiros que descobriram que comprar lá fora é mais barato que aqui dentro, além de termos possibilidade de obter produtos de melhor qualidade, também está sofrendo com a demora nas entregas, que em alguns casos já ultrapassam quatro meses desde a compra. E não é por acaso essa demora: está em vigor, conforme já escrevi aqui, a Operação MARÉ VERMELHA da Receita Federal.

A Operação MARÉ VERMELHA tem como objetivo principal, segundo a Receita Federal, aumentar o cerco contra os fraudadores do comércio exterior. Na teoria, ela pretende “aumentar o rigor nas operações de comércio exterior em razão do volume crescente de importações e o consequente aumento do crescimento do comércio desleal, que inclui a prática de fraudes como o subfaturamento, a triangulação e a utilização de falsa classificação fiscal que resultam em situações predatórias ao setor produtivo nacional” (fonte: site da ReceitaFederal). Na prática, essa operação está atrapalhando a vida de milhares de brasileiros que dependem das facilidades que o comércio on line internacional trouxeram para sua vida profissional (muitas pessoas importam produtos via China, por exemplo, para revenderem em seu comércio legalizado) e também, como é meu caso, adquirirem produtos que ou são inexistentes aqui ou aqui são vendidos a preços proibitivos.

Veja bem, eu não sou a favor da importação indiscriminada, muito menos da sonegação de impostos – se bem que esses não estão sendo utilizados em prol da melhoria de vida de nós brasileiros (afinal, além de pagarmos impostos, precisamos pagar por educação, saúde e transporte, isso se quisermos ter um mínimo de dignidade). O que eu sou contra é o atraso na vida de todos nós que dependemos da Receita Federal para liberar nossos produtos. Se a operação era inexorável, que se fizesse com contingente necessário para que os atrasos na entrega não fossem tão grandes. Nós, que estamos acostumados a comprar nas Amazons, por exemplo, sabemos que atrasos na data de entrega sempre existiram, e tais atrasos são única e exclusivamente culpa tanto da Receita Federal quanto dos correios. Já tive compras, por exemplo, que demoraram quase 60 dias após a data prometida para chegar. Mas o que está acontecendo agora chega a ser ridículo. Não bastasse isso, os portos estão ficando abarrotados de contêineres e muitos pacotes que chegam de avião, por exemplo, estão ficando ao relento, a mercê das intempéries, avariando seu conteúdo. Veja o vídeo abaixo, por exemplo, que mostra o absurdo que aconteceu com uma encomenda:




O pior é que, pessoas desavisadas, estão descontando na Amazon esse atraso e pedindo reembolso ou reenvio de produto (que a Amazon faz de bom grado). Se esse volume de reclamações crescer muito, aliás, vai acabar acontecendo da gigante do comércio eletrônico desistir de vender para o Brasil (certamente um de seus melhores clientes nos últimos anos) a exemplo de outras lojas internacionais. Aliás, para desespero de nós consumidores e “importadores” é que a própria Amazon, segundo ela seguindo orientações da Receita Federal brasileira, já está embutindo no fechamento da compra, seja ela do produto que for (menos livros e revistas), o valor do imposto aduaneiro, acrescido de outros tributos estaduais, o que faz com que o valor final aumente em mais de 90% (lembrando que o imposto, quando cobrado aqui, é de 60% o valor da compra). Isso certamente fez puxar o freio-de-mão dos consumidores, principalmente porque, mesmo pagando essa absurda porcentagem nos impostos, nem terão a certeza de que os produtos serão entregues (funcionários da Receita Federal já ensaiam uma greve para os próximos dias).


veja o absurdo  imposto cobrado de quase 100% do valor da compra!


Agora, deixa eu falar agora como colecionador e amante da sétima arte. Quem me conhece e também quem acompanha meus posts “Belezinhas via Amazon” aqui nesse blog, sabe do apreço que tenho pelos filmes e seriados de TV que adquiro lá fora, não somente pelo preço mais vantajoso, como pela qualidade da apresentação do produto. Tive sorte até hoje de não ter nenhum produto meu “sorteado” para ser taxado pela Receita Federal (a não ser aquela vez que a Amazon do Reino Unido me fez ofavor de enviar o blu-ray de Gladiador por UPS, que além da absurda taxa aduaneira de 60%, cobra por seus serviços administrativos). Eu procuro sempre manter meus pedidos na faixa dos US$ 50, de modo que o tamanho da caixa não chame mesmo muita atenção dos fiscais (não obstante eu já tenha tido pedidos que foram abertos pela Receita para averiguação e liberados depois). Mas eu gostaria muito, muito mesmo, de poder fazer uma compra de filmes que ultrapassasse essa barreira, talvez, quem sabe, chegando a um valor mais alto dependendo do pedido, e ter a certeza de que o produto chegaria até mim SEM ATRASOS e principalmente SEM COBRANÇAS DE IMPOSTOS. Afinal, estou comprando FILMES, que muito além de entretenimento, são expressões de cultura e, a exemplo de livros, deveriam ser isentos TOTALMENTE de impostos. O mesmo, acredito, valeria para CDs. Mas infelizmente esses, além de DVDs e Blu-Rays, são classificados pela Receita como eletrônicos e por isso devem ser taxados.

E não me venham com a desculpa da “proteção a indústria nacional”. Se a nossa indústria acompanhasse nossos anseios “colecionísticos”, passaria a produzir aqui produtos com a mesma QUALIDADE E PREÇO a que temos acesso lá fora.  Sim, preço. Porque quando a nossa indústria local surta e resolve trazer a nós produtos semelhantes, o fazem cobrando os olhos da cara. Um bom exemplo é o Box de STAR WARS em blu-ray, que lá fora é vendido a US$ 80 (cerca de R$ 160, no câmbio de hoje) e aqui é vendido nas melhores lojas a R$ 300, ou seja, praticamente o dobro do preço.

O que resta então a nós, pobre mortais, se não sentarmos e esperarmos? Nos mexermos! Reclamar, escrever aos jornais, ao Proteste Já do CQC, a Ouvidoria da Receita Federal. Se você tem um blog, faça como eu e exponha o problema. Divulgue no Facebook, faça o assunto render e chegar aos poderes que valem (Dilma?). Não podemos nos acomodar.
_______________________________________________________


Leia também:

17 comentários:

  1. Eu só compro de vez em quando, action figures (bonecos de colecionador) que nem passam de 50 Doletas, e são apenas uma unidade, sofro muito, atualmente estou aguardando uma compra do E-bay que ja vai fazer 2 meses. No início desse ano recebi uma encomenda que ja havia desistido, pois fazia mais de 4 meses que não chegava, era um boneco que veio da china (num gastei nem 20 dolares), a caixa estava como a do vídeo ai, arrombada e colada com fita, e apenas com papel picado dentro... agora maldade do vendedor ou se perdeu no caminho... vai saber... ¬ ¬

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. muito provavelmente NÃO FOI CULPA do vendedor...

      Excluir
  2. Nossa, é revoltante ver a falta de respeito q esse governo corrupto + a receita federal + correios lidam c/ o nosso bem estar! Tenho + de 20 pacotes, parados desde fevereiro e nunca recebi. Sendo q a maioria tem códigos de rastreio, mas nada atualizado!
    Isso não pode ficar assim! Se compramos lá fora, é pq tb não encontramos certos (ou quase todo o tipo de) produtos aqui no Brasil.
    Não acho justo essa operação! Pagamos honestamente por todo produto comprado! É direito nosso de receber nosso pacotes e em perfeito estado!!
    "Graças" a Operação Maré Vermelha, o Brasil ganhou + um outro motivo p/ ser mal visto lá fora.
    Vc tá certo! Temos q reclamar, compartilhar esse absurdo q estão fazendo. Não podemos ficar parados! Hoje temos vários meios de comunicação e tudo pode ser utilizado p/ divulgar essa vergonha brasileira!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então faça como eu e coloque a boca no trombone! Vou mandar cartas para os jornais também!

      Excluir
    2. Claro! Minha irmã e eu, estamos postando no facebook, twitter.. pq isso foi longe demais!!! É um absurdo a falta de respeito q estamos recebendo do governo brasoleiro, receita federal e correios!!! Estou indignada c/ isso!!! Só não me conformo de não ver nenhuma notícia sobre isso em Jornal Nacional, Fantástico... enfim, redes de TV!!! Poxa, é uma vergonha morar num país desse!! Espero q todos nós consigamos por um fim nisso!!!

      Excluir
  3. Como você bem colocou, se é para fiscalizar com rigor, era de se esperar que a Receita Federal alocasse pessoal suficiente para a tarefa. Adotar uma prática dessas sem ter estrutura para dar vazão ao número de encomendas é lesar o consumidor-contribuinte sem nenhum pudor.
    O fato de os depósitos estarem abarrotados, e haver notícia de fardos de encomendas armazenados ao relento é outro absurdo.
    A lesão aos colecionadores é grave. Mas não chega perto da gravidade de quem tem documentos importantes, instrumentos de trabalho e até mesmo medicamentos esperando liberação.
    O governo não pode simplesmente achar aceitável que um pacote fique 60, 90 dias aguardando fiscalização, sabendo que não há a menor estrutura física e pessoal para fazê-lo.
    Também adianto que acho a tributação no envio um tiro no pé da Amazon. E não me convenci ainda de que isso seja "determinação" da Receita Federal. Pois uma portaria editada pela Receita Federal não tem poder vinculante fora da Administração Pública brasileira. Nem mesmo se lei fosse, ela obrigaria a Amazon a qualquer coisa, já que se situa fora do território brasileiro.
    Se a Receita solicitou e a Amazon atendeu, é uma outra história. Porém, será um tiro-no-pé da própria loja.
    Porque tenho certeza de que milhares de compradores desistirão das importações diretas. Especialmente diante da tarifa cobrada, que chega a praticamente 100%, e o imposto de importação é de apenas 60%. O ICMS, diga-se de passagem, não é cobrado por todos os Estados da Federação nessas pequenas importações diretas. Exemplo disso, é o Estado de São Paulo.
    Ou seja, ambos os lados estão optando por soluções equivocadas. A Receita Federal, porque lesa seus contribuintes. A Amazon, porque perderá clientes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Ricardo, é um tiro no pé. Se por um lado a Amazon se protege dos maus compradores, por outro ela espanta os MUITOS bons compradores. Se foi a Receita que obrigou, realmente não há como dizer com certeza, mas sim pode ter sugerido. E a Amazon aceitou. Pior para nós.

      Excluir
  4. Puts, perfeito, é isso mesmo!
    Ainda acrescento a essa coisa do preço que disse no final. Na Black Friday o Ponto Frio colocou o box blu-ray nacional em formato de "X" da coleção x-men por R$199, sendo que em todas as lojas e até nela mesma agora e sempre foi R$399! A diferença é muuita e o box é uma edição (como poucas) no mercado nacional que seguem a mesma qualidade do exterior.
    Agora, eles não fariam essa promoção para perder dinheiro, então a conclusão é que está supermegafaturada em formato de cartel.

    Muito se diz dos impostos internos serem altos e tal, e essa é uma desculpa que dão pros preços exorbitantes, e realmente os impostos são altíssimos, mas além disso tem esse preço combinadinho e excessivamente guloso deles. Ou seja, tem a gula da produtora, a gula das lojas e a gula do governo juntas! Por isso essa violência de preço peraticado e os produtos com baixa qualidade no Brasil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, eu já disse isso aqui no blog e pela internet afora: só os impostos não justificam os preços abusivos praticados no Brasil. A ganância contribui muito mais para isso. É só ver um produto qualquer comprado lá fora, como um Blu-ray por exemplo, que custa US$ 20, se importado e tendo os impostos pagos, custaria aqui US$ 32, ou seja, cerca de R$ 64,00. Mas o mesmo é vendido aqui a R$ 90 (ou mais). Onde a conta não fecha???

      Excluir
  5. Estou CHOCADA com o vídeo. Marilyn Monroe chora.

    Eu comecei a fazer compras internacionais há pouco tempo e, fora atraso, nunca tive problema sério (encomenda perdida ou danificada) nem fui taxada (agradecemos!). E eu sempre evito comprar um valor muito alto justamente pra evitar que meu pacote fique muito grande. Apesar de que tem uma loja que mandou um batom numa caixa que caberia, no mínimo, uns 50.

    Mas bem, desde que fiquei sabendo dessa "maré vermelha" e da cobrança de taxas da Amazon, foi só tristeza. Eu prefiro a UK pra comprar CDs e DVDs porque o preço é melhor, mas tem coisa que só achei na USA.

    Esses dias, eu consegui receber um livro (em perfeito estado, agradecemos²) e hoje recebi um CD (a caixinha sempre trinca), mas tenho duas compras do eBay desde março. Apesar de serem baratinhas, ainda tenho esperanças que, quando eu menos esperar, elas chegarão.

    Acabei de fazer uma compra numa loja coreana e vou ficar torcendo pros meus CDs passarem ilesos pela receita e chegarem direitinhos na minha casa.

    Super acho interessante botar a boca no trombone e divulgar em todo lugar. Tem mais é que reclamar mesmo! Aliás, não tem um texto rolando por aí sobre uma proposta do senado de taxar comprar em sites internacionais? Não pode continuar assim!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Encomendas da Europa e da Asia têm muito menos volume e chamam então menos atenção. Eu recebi uma encomenda vinda da China (Deal Extreme) e outra vinda da Amazon UK. Eles estão mesmo apertando o certo com os EUA...

      Excluir
  6. Belíssimo post Rafael. Muito bem argumentado e coeso.
    Não faço quase nenhuma compra lá fora, portanto não sou capaz de tecer alguma opinião mais embasada, mas concordo que filmes deveriam sim ser adicionados à categoria de cultura tal qual livros e revistas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mestre, obrigado! Mesmo não fazendo quase nenhuma compra lá fora (também não faço tantas assim...) acho que devemos colocar a boca no trombone e fazer valer nossos direitos. Tem gente que está sendo muito prejudicada! E não falo apenas de nós, colecionadores! falo de gente que importa material para revender em seu comércio, de gente que importa remédios, enfim. Todos estão sendo prejudicado!

      Excluir
  7. Um absurdo o que aconteceu com a caixa da amazon no vídeo que vc pos no post. É muito desrespeito. E eles não falam nada, não dão explicações? Eu ficaria muito puto. Eu nunca comprei do exterior porque tenho medo que problemas aconteçam e eu não tenha onde reclamar por se tratar de uma loja no exterior. Um caso desses, por exemplo, vai se reclamar pra quem? Difícil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode comprar no exterior sem problemas! opte por lojas conceituadas, como a Amazon. Ela resolve seus problemas. Por exemplo, se o cara do vídeo reclamar do estado em que sua compra chegou, a Amazon pedirá um milhão de desculpas e o reembolsará ou reenviará o produto. Claro, isso não seria nada legal porque a culpa, no caso, não é da Amazon, mas da Receita Federal e/ou dos correios... O lance é saber que, no melhor dos casos, sua compra pode atrasar até uns 60 dias da data de entrega prevista, mas por culpa (novamente) da Receita e/ou dos correios.

      Agora, como essa Op. Maré Vermelha, realmente não é hora de comprar la fora...

      Excluir
  8. Só pra constar: recebi ontem uma das encomendas do eBay (a que comprei em março) e anteontem recebi os CDs da Coreia (não levou 2 semanas!). Ainda há esperança. :)

    ResponderExcluir

Ocorreu um erro neste gadget