quarta-feira, 4 de maio de 2011

Verdade ou consequência?

O mundo parou na segunda-feira, dia 02 de maio, infelizmente não para comemorar mais um título estadual de futebol do Flamengo e o naufrágio mais uma vez do Vasco da Gama, mas sim a morte do inimigo público número 1 dos EUA (e do resto do planeta, talvez): Osama Bin Laden. Mas afinal, ele realmente está morto?


Desculpem aos crentes de plantão, mas eu não acredito nisso. Digo, ele pode até estar morto, mas será que foi mesmo morto agora? Segundo uma colega de trabalho que adora uma teoria da conspiração, principalmente quando o governo dos EUA está envolvido na notícia, Bin Laden já teria sido morto há muito tempo e seu corpo congelado para que pudesse ser exposto quando a oportunidade na conjuntura político-econômica mundial fosse favorável. Desta forma, a economia americana, altamente baseada na guerra, continuaria a funcionar sem maiores problemas. O fato intrigante é que uma vez a notícia da morte de Osama tendo sido veiculada, isso não acarretaria o fim do movimento de guerra que tanto alimenta a economia dos EUA?! Talvez não, visto que eles já anunciaram que a guerra contra o terror vai continuar, já que outros líderes da Al Qaeda tomariam o lugar que fora de Bin Laden. Enfim, a roda continuaria a girar.

De qualquer maneira, eu ainda não acredito que Osama tenha sido morto, não agora pelo menos. Onde estão as provas? As fotos do suposto corpo exibidas na mídia são tão mentirosas que chegam a ser uma verdadeira vergonha alheia. Onde esta o vídeo da invasão? Ah, é restrito à Casa Branca e ao Pentágono. Tudo bem. Mas e o corpo? Ah, foi sepultado ao mar segundo tradições muçulmanas. Quanta generosidade dos “marines”, não? Fala sério. Líderes religiosos muçulmanos já disseram que essa não é uma prática de funeral comum a eles. Então o que fizeram? Esquartejaram o cara, jogaram produtos corrosivos? Não, não caio nessa. Com Saddam Hussein fizeram tanto estardalhaço, até enforcado em praça pública ele foi! Imagina se com Bin Laden seriam tão benevolentes.

Verdade ou não, o fato é que o anúncio da morte do terrorista beneficiou – e muito – um certo presidente negro ai, a quem eu admiro, confesso, que lutava contra a queda de sua popularidade e que agora pode ter garantido sua reeleição ano que vem. Muita coisa ainda precisa ser esclarecida...

A montagem é clara. Acho que até eu faria melhor no Photoshop.

2 comentários:

  1. Sabe o que eu acho mais triste? É o povo americano (e a mídia internacional, o que é mais estarrecedor) agirem como se de fato se tratasse de uma guerra pela liberdade. O objetivo nunca foi defender os valores democráticos do nazismo, da ameaça comunista, do terrorismo islâmico. A única coisa que o governo americano tem defendido desde sempre são seus intereses políticos e econômicos. O resto é propaganda.

    ResponderExcluir
  2. Carol, assino embaixo, assim como concordo em grau, gênero e espécie com o texto do Rafael.

    ResponderExcluir

Ocorreu um erro neste gadget