segunda-feira, 28 de novembro de 2011

ERROS IRREVERSÍVEIS: Fraco como advogados de porta de cadeia

Eu gosto de filmes de tribunal. Mas nunca li um livro de tribunal. E esse era um título que me chamava muita atenção, até pela fama do autor, Scott Turrow, que na época do lançamento desse título veio ao Brasil, para a Bienal do Rio, e deu até entrevista para o Jô.

A trama do livro é interessante e já foi explorado por outros autores, até em romances históricos, como O CONDENADO, de Bernard Cornwell: advogado é contratado pelo estado para tentar uma última apelação para livrar da morte um condenado por homicídio. Até ai, tudo bem, mas Turrow se perde muito nos dramas particulares de seus persoangens, deixando a trama principal num segundo plano. Talvez tenha sido essa sua intenção mesmo, mas então esse não poderia nunca ser classificado como um romance de tribunal, se é que o é, não tenho certeza. O fato é que os personagens são fracos, humanos, sim, mas muito aquém do que poderíamos esperar em um romance desse tipo. Não há nem um herói nem um anti-herói, nem qualquer personagem verdadeiramente envolvemente e cativante pelo qual torçamos,  muito menos viradas surpreendentes que prenderiam a atenção do leitor por mais páginas. As revelações que são soltas aqui e ali não são suficientes  - e as vezes bem repetitivas - e fazem com que se torça logo pelo final da história, que demora muito a chegar.

Não sei se lerei outro livro de Turrow, sinceramente. Talvez o filme seja melhor... Tem Tom "Magnum" Selleck no elenco, além da bela Monica Potter e do sempre excelente William H. Macey (que pelo que vi faz o papel do advogado Arthur Raven, que no livro deve ter a metade de sua idade...).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget